Blog

Faça sua parte e proteja as florestas
jul 19, 2018
Por Tatiana Beserra

No dia 17 de julho comemoramos o Dia de Proteção às Florestas, uma data que está aí para nos lembrar da importância das florestas na nossa vida.

O Dia de Proteção às Florestas foi criado com o objetivo de conscientizar a população brasileira sobre a necessidade de manter e recuperar as áreas verdes que foram devastadas, principalmente devido à atividade humana. Atualmente existem recursos sustentáveis para que o desenvolvimento das grandes cidades não afetem o meio ambiente, além de existirem leis rígidas que combatem a devastação excessiva e que garantem o replantio das áreas que foram afetadas. Mesmo assim, a porcentagem de devastação ainda é maior que a do replantio.

As florestas fazem parte do ciclo da água, contribuem para a formação de chuvas que abastecem diversas regiões do Brasil, nos protegem de climas extremos, auxiliam na produção de alimentos, protegem os rios e nascentes, melhoram a qualidade e quantidade de água que consumimos. Com o desmatamento, toda a vida na Terra ficaria comprometida!

O Brasil é destaque no quesito ambiental, pois é um país que possui uma grande quantidade de florestas tropicais e sete biomas: Mata Atlântica, Cerrado, Amazônia, Ambiente Costeiro, Caatinga, Pantanal e Pampas.

Atualmente, diversas ONGs trabalham com a preservação do meio ambiente e estão sempre em busca de voluntários para auxiliar nas obrigações e deveres da população, fazendo denúncias sobre a exploração ilegal de reservas naturais, entre outras ações para o meio ambiente.

Além disso, temos um Código Florestal Brasileiro, instituído em 1934, que constantemente passa por reformulação, muitas vezes não tão vantajosa para as nossas grandes florestas. O Código Florestal é uma lei que institui regras sobre onde e como a vegetação nativa brasileira pode ser explorada e determina quais áreas devem ser preservadas e quais áreas podem receber produção rural.

Para que a preservação fosse o objetivo principal, o Código Florestal estabeleceu dois tipos de áreas: Reserva Legal e Área de Preservação Permanente (APP). A Reserva Legal é determinada como uma parcela de cada propriedade ou posse rural que deve ser preservada, devendo abrigar uma parcela representativa do ambiente natural da região onde está alocada e, por isso, necessária à manutenção da biodiversidade local. A exploração pelo manejo florestal sustentável se dá nos limites estabelecidos pela Lei para o bioma em que a propriedade está localizada.

Já as Áreas de Preservação Permanente (APP) foram criadas para preservar locais frágeis como encostas, beiras de rios e topos de morros, que não podem ser desmatados para evitar erosões e deslizamentos, além de protegerem nascentes, flora, fauna e biodiversidade das áreas. As APPs são naturais intocáveis, não é permitido construir em seu entorno, possuem rígidos limites, não é permitido cultivar ou explorar a área economicamente.

O desmatamento ainda é grave no Brasil e a cada ano perdemos quilômetros e mais quilômetros de florestas, isso somente na Amazônia. O governo só faz aumentar a ambição em desmatar nossas florestas, causando maior emissão de gases do efeito estufa, que são responsáveis pelo aquecimento global, afetando o clima e a população.

Em 2015, o Greenpeace entregou um Projeto de Lei pelo Desmatamento Zero no Congresso Nacional, mas somente isso ainda é suficiente. Precisamos lutar para que o projeto seja aprovado e siga adiante, para que a reivindicação dos brasileiros seja atendida pelos senadores e deputados. No site https://www.desmatamentozero.org.br/ é possível assinar uma petição, ler a sugestão de lei, conferir os caminhos para o Desmatamento Zero e como divulgar para que mais pessoas assinem.

Faça isso e contribua para o nosso meio ambiente!