Ampara Animais Silvestres - Melhores ONGs

Blog

Cuidados com cães e gatos na terceira idade
By: Mídias Digitais
Tags:, ,
mar 8, 2021

Os cães e gatos estão cada vez vivendo mais e isso é excelente, pois indica que estamos cuidando melhor deles, aumentando diretamente suas sobrevidas.

Por outro lado, infelizmente, quanto maior a longevidade, maior é a chance do animal desenvolver doenças relacionadas a terceira idade como câncer, artrose, diminuição da acuidade visual, dificuldade de locomoção, entre outras.

Os animais envelhecem de formas diferentes e vemos que alguns chegam a idades avançadas, acima de 15 anos, sem apresentar nenhuma alteração, enquanto outros acabam envelhecendo mais rápido.

Nem todos os cães são considerados idosos na mesma idade, e isso depende, principalmente, da raça e do porte do animal. As raças e os animais de porte pequeno são considerados idosos a partir dos 10-11 anos. Já os animais de tamanho médio, são considerados idosos acima dos 8-10 anos, e os animais grandes são consideradas idosos a partir dos 6-7 anos.

No caso dos gatos, a partir de 11-12 anos podem ser considerados maduros, e a partir dos 15, idosos.

Mas lembre-se, a genética e o estilo de vida (alimentação, local onde vive, etc.) de seu cão ou gato desempenham um papel importante no processo de envelhecimento. Isso significa que seu cão de porte grande, com 6 anos, pode ser completamente saudável e não mostrar sinais de envelhecimento.

Portanto, trazemos algumas informações úteis para você observar melhor as alterações que podem vir com a idade e saber como cuidá-las para melhorar a vida de seu cão ou gato idoso:

  1. Conforme um cão ou gato envelhece, ele se torna menos ativo, menos ágil e sua audição e visão começam a sofrer mudanças, como o desenvolvimento de catarata ou quando param de enxergar totalmente. Por isso, observe se ele começar a bater em móveis, não atender quando você chamar ou ficar muito isolado.

 

  1. Animais idosos podem desenvolver artrose, o que causa muita dor e restringe sua locomoção. Fique de olho se ele começar a ter mais dificuldade para caminhar, dificuldade de subir escadas, pular obstáculos, entre outras. Ao perceber qualquer um destes sinais, leve-o ao médico veterinário para exames clínicos.

 

  1. Alguns animais podem começar a ter deficiência na função dos rins, do coração, do fígado e/ou do pâncreas, e muitos podem desenvolver diabetes ou insuficiência cardíaca e/ou renal na velhice.

 

  1. Se o seu animal começar a apresentar alterações como beber mais ou menos água, fazer mais ou menos xixi, ter dificuldade para urinar e/ou defecar, dificuldade respiratória, cansaço fácil, fraqueza e outras, leve-o o mais rápido possível ao seu médico veterinário.

 

  1. Em animais idosos não podemos esperar para diagnosticar as doenças, pois estas, muitas vezes, aparecem quando o quadro já está avançado.

 

  1. Animais idosos tem maiores chances de desenvolverem tumores que podem ser benignos ou malignos, portanto, qualquer nódulo, aumento de volume em partes do corpo ou qualquer sintoma novo, leve-o ao veterinário.

 

  1. Os cães e gatos idosos têm necessidades e exigem cuidados diferentes dos cães e gatos adultos e filhotes. E, para fornecer o melhor cuidado possível aos idosos, devemos cuidar deles de forma diferente para mantê-los saudáveis.

 

Dieta apropriada para a idade

Uma dieta balanceada desempenha um grande papel na manutenção da saúde do seu cão ou gato, mesmo quando ele envelhece. Cães e gatos mais velhos correm maior risco de desenvolver obesidade, uma vez que não têm mais os mesmos níveis de energia de antes. Portanto, é importante encontrar a melhor ração desenvolvida, especialmente para animais idosos, com a intenção de prevenir o ganho de peso.

Geralmente estas rações tipo “sênior” são pobres em gordura, têm mais fibras, menos calorias e uma menor porcentagem de proteína para não sobrecarregar os rins, além de serem formuladas para suprir as necessidades nutricionais do animal idoso.

 

Exercícios regulares

O exercício regular ajudará principalmente cães idosos a manterem seu peso ideal e também terá um impacto benéfico em suas articulações e em sua saúde geral. Nunca faça exercícios intensos se seu animal tiver qualquer problema cardíaco ou pulmonar. Peça orientação ao seu veterinário e respeite os limites físicos do seu animal. Com os gatos, pode sempre tentar estímulos e exercícios usando os seus brinquedos preferidos dentro de casa.

Seja paciente nas caminhadas e passeios, comece devagar e aumente a resistência pouco a pouco, com passeios regulares e nas horas mais frescas do dia.

 

Medicina preventiva – Exames veterinários regulares

Na velhice é muito importante fazer check-ups e levar seus animais no veterinário pelo menos 1 a 2 vezes ao ano para diagnosticar qualquer problema mais sério, assim que aparecerem. Conforme seu cão ou gato envelhece, seu sistema imunológico fica mais fraco, o que o torna mais propenso a todos os tipos de doenças. Portanto, a medicina preventiva é tão importante, manter sempre vacinas e vermífugos em dia. Também é necessário fazer exames de sangue e exames de imagem para ver a função renal, a função hepática e se o coração está bom.

 

Saúde bucal

A maioria dos cães mais velhos que não recebe os cuidados dentários adequados durante a vida adulta, podem desenvolver acúmulo excessivo de tártaro e doença periodontal. Os cuidados com os dentes são mais importantes na velhice, onde os animais ainda podem ter absorção óssea na boca, devido às infecções severas sem tratamento.

Para manter os dentes do seu cão saudáveis, você precisa escová-los, de preferência, todos os dias com pastas específicas para cães e gatos. Além disso, você deve levar seu cão ao veterinário uma vez por ano para examinar dentes e cavidade oral e ver se há necessidade de fazer o tratamento da doença periodontal.

 

Vacinação e prevenção de ecto e endo-parasitas 

Sempre devemos manter os animais livres de pulgas e carrapatos, e também vermifugar contra os vermes intestinais. E, em relação às vacinas, manter o mesmo calendário de vacinação anual 9 V8 + antirrábica para cães e V4 + antirrábica para gatos.

 

Cuidados especiais

Cães e gatos mais velhos costumam desenvolver artrite ou outros problemas ósseos e articulares que afetam sua mobilidade. Além disso, um cão ou gato com menor visão ou cego também terá problemas para pular na cama ou no sofá à noite.

Nesses casos, seu animal pode se beneficiar de uma cama macia em um local mais baixo ou de um degrau ou rampa para subir na cama se ele estiver acostumado a dormir com você. Se você tem escadas em casa, cuidado: tente mudar a rotina e o local onde ele come e dorme para ele não precisar subir e descer escadas, se tiver artrose.

Outra medida importante é o uso de tapetes e carpetes, principalmente para cães com artrose ou displasia coxofemoral, para o animal não escorregar, pois os pisos lisos são muito prejudiciais e os tapetes o ajudarão a se equilibrar e facilitará um pouco os movimentos.

Alguns cães e gatos mais velhos podem ficar completamente cegos, então você terá que se certificar de que eles são capazes de andar pela casa sem bater nas coisas. Tente não mudar os móveis de local, pois isso os confundirá e fará com que ele esbarre nas coisas desnecessariamente. Além disso, tire objetos perigosos como vasos de vidro do caminho deles.

O envelhecimento é uma coisa completamente normal, mas é muito difícil e doloroso testemunhar todas as mudanças que o envelhecimento pode trazer ao seu amado cão ou gato.

Um animal idoso pode se isolar, ou ficar mais dependente de você, ficando mais ansioso e amedrontado sem a sua presença.  Portanto, tente passar o máximo de tempo possível com seu animal. Neste momento da velhice, pode ser o momento que ele mais precisa da sua companhia.

Apesar de ele estar menos ativo, dormir o dia todo, escutar e enxergar menos, não o deixe de lado, continue levando-o para passear, brinque com ele, converse regularmente, faça massagens, carinhos e dê petiscos.

E lembre-se, leve ao veterinário com mais frequência nesta fase da vida para averiguar a saúde do seu idoso!