Blog

CASTRAÇÃO
By: Carolina Ferraz
jun 18, 2015

BLOG_a_favor_da_castracao_menor

Um país em desenvolvimento tem como forte característica a redução das taxas de natalidade humana. Sabemos o quão custoso e sério é uma nova vida. Por que então não conseguimos expandir essa conscientização para as populações animais?

Força-tarefa continua para nós da AMPARA, a castração de animais domésticos ainda gera dúvidas e divide opiniões baseadas em mitos e desconhecimento. Queremos falar um pouco sobre esta causa que defendemos incondicionalmente por ser a única medida emergencial eficaz para o controle populacional de animais que muitas vezes terminam abandonados, a mercê da própria sorte pelas ruas das grandes cidades.

Com o respaldo de nossa voluntária, a médica veterinária Beatriz Casanova Sauaia (CRMV 28.589), responsável pelo departamento veterinário da AMPARA Animal, levantaremos aqui alguns pontos cruciais para entender a relevância da castração:

UMAVet da AMPARA: A UMAVet, Unidade Móvel de Atendimento Veterinário, atenderá gratuitamente de forma periódica e planejada, se colocando a disposição de comunidades carentes, oferecendo tratamento e o procedimento de castração a fim de diminuir a proliferação de animais de rua.

Este controle é de extrema importância para a saúde e bem estar dos animais e também de nós, humanos, sujeitos a proliferação de doenças zoonoses, transmitidas por animais negligenciados.

Custo e serviços oferecidos pelo Estado: O procedimento feito por vias de clinicas particulares custa, em média, entre 100 e 900 reais, variando de acordo com a espécie, peso e tamanho do animal. O que poucos sabem é que o Centro de Zoonose de São Paulo oferece castrações gratuitas. Cada Pessoa Física tem o direito a realizar dez castrações gratuitas.

 

Mudanças comportamentais: Com a redução considerável da produção de hormônios sexuais -progesterona, testosterona e estrogênio, os animais se tornam mais serenos, mansos, caseiros e menos ansiosos, agitados, agressivos e territorialistas.

Como é feito: em jejum hídrico e alimentar, o animal é anestesiado, tornando assim o procedimento absolutamente indolor. Em fêmeas é feita a ovariohisterectomia. Nos machos é realizada a orquiectomia bilateral.

O pós operatório também é indolor, já que o animal recebe dosagens de analgésicos, antibióticos e antiinflamatórios, garantindo uma recuperação tranquila, que dura aproximadamente 10 dias.  Os cuidados pós operatórios são simples, porém cruciais: não praticar exercícios  intensos, manter uma alimentação leve e ficar atento para que os pontos e curativo sejam preservados higienizados.

Mitos que só complicam ainda mais o atual cenário:

MITO 1. “O procedimento de castração é doloroso”

REALIDADE: Todo o procedimento é feito sob efeito de anestésicos.

MITO 2. “Castrar sem que o animal cruze ao menos uma vez frustra o animal”

A REALIDADE: Os animais, diferentemente dos humanos, não são dotados deste “senso de frustração sexual”, como muitos imaginam.

MITO 3. “Machos se tornam afeminados e fêmeas, masculinizadas”.

A REALIDADE: A castração apenas reduz a produção de hormônios sexuais, mas os mesmos se mantêm presentes no organismo do animal.

MITO 4. “Castrar faz com que o animal engorde”

A REALIDADE: Se não houver mudança na alimentação e rotina de atividades físicas do animal, a atividade metabólica reduz sua atividade, propiciando o ganho de peso. É preciso sempre ficar atento, independente da idade, condições ou momento em que seu animal vive, para que ele nunca caia no sedentarismo e alimentação desbalanceada.

Uma lista para não deixar dúvidas sobre as vantagens da castração:

  1. Castrar deixa o animal mais calmo.
  2. Torna o animal mais obediente e menos propenso a demarcar território, permitindo assim que aprenda a fazer suas necessidades no local indicado.
  3. Previne tumores dos órgãos reprodutivos.
  4. Poupa as fêmeas de desordens associadas à gravidez e ao parto, como distorcia, metrite e mastite.
  5. Inibe comportamentos sexuais indesejados, como fugas, cópula com objetos, uivos e miados excessivos nos períodos de cio.
  6. Diminui significativamente a incidência de doenças induzidas pelos hormônios reprodutivos, como tumor de mama e de próstata.
  7. Elimina o estado de excitação e inquietude por falta de cruzamento e reduz a euforia e até agressividade excessivas, causadas pela ação dos hormônios reprodutivos.
  8. Elimina a perda de sangue em cadelas e também o “assédio” que as mesmas sofrem durante o período de cio.
  9. Elimina a gravidez psicológica, comum em algumas fêmeas não castradas, cessando assim mastites, produção de leite e irritabilidade.

 

Você pode baixar nosso folder sobre castração no link -> http://amparanimal.org.br/downloads/folder-castrar-e-um-ato-de-amor/