x

AMPARA Silvestres

Após seis anos atuando com cães e gatos, a OSCIP AMPARA Animal inicia, em 2016, o trabalho com animais silvestres.

Como projeto piloto, criou o Projeto Toca da Onça, que teve como meta oferecer condições mais adequadas paras as onças que vivem em cativeiro na Associação Mata Ciliar.

Na natureza, esses animais majestosos costumam fazer uso de uma área de 100 km quadrados para se alimentarem e estabelecem seu território. Atualmente essas onças encontram-se alocadas em espaços de aproximadamente 40m quadrados, o que as torna estressadas e infelizes.

4297272d-a3f2-4a4f-af72-db6caf91cb34
Foto: Eduardo Leporo

AMPARA Silvestres visa salvar espécies ameaçadas apoiando projetos de reintrodução para equilíbrio da biodiversidade e também, oferecer condições adequadas aos animais que estão condenados ao cativeiro.

ampara-silvestre
Foto: Eduardo Leporo

Três recintos foram inaugurados, um advindo de doações de pessoas físicas, através de uma campanha de crowdfunding e o segundo e o terceiro por doação, da madrinha da segunda etapa da ação, a atriz, modelo e apresentadora Giovanna Ewbank.

ewbank
Foto: Eduardo Leporo

E para nosso projeto TODOS PELAS ONÇAS ganhar mais força, desenvolvemos lindas pulseiras veganas e uma camiseta da marca BAW, com a ilustração da face da onça pintada, com 100% da renda revertida para proteção e recuperação de onças em vários pontos do Brasil. Ela é o símbolo da fauna brasileira e da luta pela preservação desse animal que está ameaçado de extinção.

todospelasoncas

Para que nossa causa tenha um grande alcance, convidamos influenciadores a vestirem nossa camiseta em um ensaio fotográfico com Leonardo Uzeda, representando os animais em confinamento. O intuito é dar continuidade ao vídeo INOCENTES que expõe a triste realidade de um animal que vive atrás das grades sem ter cometido crime algum.

Texto Complementar:
A devastação do habitat das onças é crescente, o que ocasiona diversos acidentes a esses animais, que são resgatados e entram em um programa de reabilitação. Com isso há um grande aumento de espécies vivendo em cativeiro.

O número mais acentuado é dos animais chamados de topo da cadeia alimentar que precisam de uma grande área para se manter, como a onça-pintada (Phantera onca) e a onça-parda (Puma concolor).

No Brasil, a situação das onças é mais crítica em função da desinformação das pessoas em relação a diversos fatores necessários à sobrevivência desses animais, especialmente diante da crescente produção agrícola e a consequente diminuição do território que elas utilizam para a caça em função das fazendas de produção extensivas de gado.

Muitos exemplares existem ainda em zonas de grande densidade demográfica. Como exemplo de Brasília, onde câmeras de segurança de um shopping flagraram no início deste ano uma onça-parda caminhando calmamente pelo estacionamento do estabelecimento comercial. Seu território sofre pressão demográfica e degradação diárias com a construção de empreendimentos imobiliários e rodovias, por isso, comumente são atropeladas em estradas do interior do Estado de São Paulo.

Com isso, o número de onças em cativeiro vem aumentando, ou seja, por motivos provavelmente relacionados com a interferência humana os animais estão saindo dos seus habitats sendo necessário, por diversos motivos, encaminhá-los a cativeiros, normalmente mantidos por organizações não governamentais exigindo-se parceria com os colaboradores a fim de permitir a manutenção e o bem-estar dos animais resgatados.